O Caminho Neocatecumenal (CNC) é uma fundação de bens espirituais com personalidade jurídica pública, isto é, que serve a Igreja Católica Universal e fala em nome dela. O seu serviço consiste em ajudar as dioceses e paróquias em que está implantado, a realizar aquilo que respeita a três bens espirituais, que são parte da missão evangelizadora básica da Igreja, nomeadamente:

  1. A iniciação cristã dos não-baptizados;

  2. A catequese integral dos já baptizados mas insuficientemente evangelizados, sob a forma de um catecumenado pós-baptismal;

  3. A formação permanente na fé daqueles que já percorreram integralmente o referido catecumenado e renovaram solenemente as promessas baptismais.


Nasceu em Madrid, nas barracas de Palomeras Altas, por volta de 1963.
Através do contacto de Francisco “Kiko” Argüello (jovem pintor regressado à fé, após um período de ateísmo) com os pobres e delinquentes desse bairro, foram surgindo as catequeses iniciais do CNC, o kerigma, 1º anúncio do Evangelho. Assim se formou a primeira experiência comunitária. Pouco depois juntou-se-lhes Cármen Hernández, jovem doutorada em Química e licenciada em Teologia, ex-noviça numa congregação missionária, que estava em contacto com as renovações teológicas, bíblicas e litúrgicas então a confluir e emanar do II Concílio do Vaticano.
O Arcebispo de Madrid, Mons. Morcillo, ao conhecer esta comunidade composta por gente com vidas tão extraviadas e que assim se estava a aproximar de Cristo, pediu a Kiko e a Cármen que levassem essa experiência às paróquias da capital. Mas só em Zamora nasce a comunidade neocatecumenal paroquial mais antiga do mundo (1967). No ano seguinte, a experiência será vivida em bairros pobres de Roma e de Lisboa (na paróquia da Penha de França). A partir do conhecimento litúrgico de Cármen surge a inspiração de fazer esta caminhada de fé sob uma forma catecumenal, isto é, com etapas progressivas, que cada comunidade vai percorrendo ao seu ritmo.
Espalhado por mais de uma centena de países e milhares de dioceses, o Caminho viu os seus estatutos definitivamente aprovados pela Santa Sé em 2008. Depende diretamente do Conselho Pontifício para os Leigos. A equipa responsável internacional é atualmente composta por Kiko e pelo Pe. Mário Pezzi, italiano, da diocese de Roma (a Cármen faleceu neste ano de 2016). Frutos desse Caminho são os carismas de itinerantes (catequistas que partem para qualquer parte do mundo, como responsáveis do Caminho em quaisquer nações ou regiões) e das famílias em missão. Surgiram já milhares de vocações para o presbiterado, dando origem a mais de 80 Seminários diocesanos e missionários Redemptoris Mater, como o de Lisboa (2000) e do Porto (2008), e também para a vida contemplativa.

Na nossa diocese da Guarda, existe uma comunidade que se reúne à 3ª feira e ao sábado, pelas 21.00H, na Casa Paroquial da Sé.

Contatos

Assistente – Pe. Carlos Lages – 271212993
Casal responsável – André e Jacinta - 926694206